“Biofábrica vai acelerar desenvolvimento de soluções para produtor”, diz secretário Tiago Mendonça na inauguração da BioFabLab da Embrapa Arroz e Feijão

Evento marca início do funcionamento de laboratório, localizado em Santo Antônio de Goiás. Unidade passa a integrar rede estadual de pesquisa e desenvolvimento de insumos biológicos

O secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça, participou, nesta terça-feira (22), da inauguração do Laboratório Multiusuário para Pesquisa e Desenvolvimento de Bioinsumos (BioFabLab) da Embrapa Arroz e Feijão, em Santo Antônio de Goiás. O diretor-executivo de Pesquisa e Inovação da Embrapa, Guy de Capdeville, foi o anfitrião da cerimônia, ao lado do chefe-geral da Embrapa Arroz e Feijão, Elcio Guimarães, e do presidente do Conselho Estratégico do Programa de Bioinsumos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Alessandro Cruvinel.

Mendonça representou o governador Ronaldo Caiado no evento. Em seu discurso, ele elogiou a estrutura da BioFabLab e destacou que, após ser a primeira unidade federativa a implementar um Programa Estadual de Bioinsumos, Goiás está se tornando o maior ecossistema de inovação em insumos biológicos do País. O titular da Seapa também ressaltou que a prioridade é fazer com que estas tecnologias cheguem aos produtores. "Estamos mostrando que, com a união de todos, é possível levar soluções para quem produz, e esta biofábrica vai acelerar este processo", declarou.

Diretor-executivo de Pesquisa e Inovação da Embrapa, Guy de Capdeville argumentou que o Brasil se destaca no tema da sustentabilidade agropecuária. “Temos um agro que adota e respeita a ciência, e o trabalho que a Embrapa faz contribui enormemente para isso”, defendeu. Capdeville citou estimativas de empresas que projetam um crescimento de 300% da área de insumos biológicos até 2030. “Contar um laboratório dessa natureza é fundamental e estamos avançando para que mais unidades da Embrapa tenham estruturas e redes de pesquisadores em bioinsumos”, afirmou.

Estrutura
De acordo com a Embrapa Arroz e Feijão, o BioFabLab foi construído por meio de um Termo de Execução Decentralizada (TED) no valor de R$390 mil, concedido pelo Mapa. A empresa SoluBio entrou como parceira oferecendo, em regime de comodato, o biorreator, equipamento que processa reações biológicas. A estrutura física do laboratório permite o escalonamento do processo de produção e desenvolvimento de insumos biológicos, podendo produzir desde pequenos volumes (100 ml) em frascos agitados, até volumes maiores (5 L) em biorreator de bancada ou em grande escala (220 L).

Para o presidente do Conselho Estratégico do Programa de Bioinsumos do Mapa, Alessandro Cruvinel, o BioFabLab “tem um potencial enorme”. “Este trabalho que está sendo feito no Brasil é uma semente que está sendo plantada e merece destaque. Daqui a cinco anos já vamos perceber a diferença: a redução da dependência de insumos importados, de agroquímicos e fertilizantes; a redução de custos; e um maior benefício pra nossa agricultura como um todo”, disse ele.

Também prestigiaram o evento: o presidente da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e de Pesquisa Agropecuária (Emater), Pedro Leonardo Rezende; o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Robson Vieira; o chefe de gabinete da Seapa, Manoel Machado Neto, e a assessora Rosana Esteves; além da diretora de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Solubio, Rose Monnerat; do superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar Goiás), Dirceu Borges; e de servidores dos órgãos envolvidos.

Comunicação Setorial da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), com informações da Assessoria de Comunicação da Embrapa Arroz e Feijão
 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.