Comitê de Sanidade Avícola define medidas sanitárias de prevenção da Influenza Aviária

Tema foi debatido na primeira reunião ordinária de 2023 realizada na Agrodefesa. Casos da doença registrados em países da América Latina exigem ações imediatas

Uma série de ações de caráter preventivo e educativo vai ser desencadeada nos próximos dias com o objetivo de orientar os agentes do segmento avícola de Goiás para os riscos da introdução da Influenza Aviária, após a constatação de casos na Colômbia e no Peru. A questão foi tratada em reunião realizada na tarde de terça-feira (17/1) na sede da Agrodefesa, com presença de representantes de todos os órgãos e entidades que integram o Comitê Estadual de Sanidade Avícola (Coesa).

As medidas serão focalizadas principalmente na orientação e conscientização de profissionais da medicina veterinária, educação sanitária de criadores para a importância da notificação de suspeitas de casos da doença e esclarecimento dos Responsáveis Técnicos que atuam nas revendas de produtos agropecuários para que estejam atentos e preparados para adotar as providências necessárias à correta comunicação ao Serviço Veterinário Oficial (SVO) em casos suspeitos que apontem para o problema.

O diretor de Defesa Agropecuária, Sérgio Paulo Coelho, enfatizou que as medidas são necessárias e urgentes, ressaltando que a união de esforços do SVO com os demais segmentos do setor avícola é fundamental para garantir a prevenção da doença. O gerente de Sanidade Animal, Antônio do Amaral Leal, informou que o presidente José Essado determinou total empenho da Agrodefesa no cumprimento das medidas propostas.

Ações definidas
O presidente do Coesa, Eduardo Tibery Queiroz, alinhou as medidas que serão adotadas de imediato. Uma delas é a capacitação de fiscais estaduais agropecuários médicos veterinários da Agrodefesa para atualização sobre a doença e padronização de ações. E também a continuidade nas ações previstas no Plano de Vigilância de Influenza Aviária e doença de Newcastle, já realizado em criatórios industriais, estendendo agora a coleta de amostras em aves de subsistência. Em ambos os casos, o objetivo é comprovar a inexistência da Influenza na avicultura goiana.

Outra medida é a realização de uma live a ser organizada pela Escola de Veterinária e Zootecnia da Universidade Federal de Goiás (EVZ/UFG), pela Agrodefesa e pela Superintendência Federal da Agricultura em Goiás (SFA-Goiás), para auditores fiscais do Ministério da Agricultura em Goiás e fiscais da Agrodefesa, também para esclarecer sobre a Influenza, Alertas Sanitários de Notificação e Plano de Contingência em possíveis casos comprovados da doença.

A Associação Goiana de Avicultura (AGA) vai realizar reunião com os seus associados, com participação da Agrodefesa, para repassar informações e sensibilizar os criadores sobre a  importância da notificação ao Serviço Veterinário Oficial de casos suspeitos de quaisquer anomalias que acometerem as aves.

Outra medida será o envio de comunicação ao Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) propondo a realização de ações para esclarecimento dos médicos veterinários Responsáveis Técnicos nas revendas de produtos agropecuários, para que orientem os criadores sobre os riscos da Influenza e como proceder em casos suspeitos de quaisquer doenças nos aviários.

Foi definida também a produção de material de educação sanitária pelo Coesa, por meio da AGA, para ser distribuído às revendas agropecuárias, como forma de chamar a atenção dos avicultores e demais segmentos envolvidos relativos à Influenza. Os representantes de todos os órgãos e entidades se comprometeram a atuar de forma proativa e continuada para que as medidas alcancem os objetivos propostos, principalmente a prevenção e a adoção de medidas de biosseguridade em granjas comerciais para evitar que a Influenza chegue a Goiás.

Ficou definido também que o Coesa irá realizar no dia 9 de fevereiro uma live direcionada aos integrantes do Coesa, com o médico veterinário Luiz Sesti, da empresa Ceva Saúde Animal, que irá abordar o momento atual da Influenza Aviária na América Latina. O profissional atua em diferentes frentes no setor da avicultura, junto a clientes e órgãos governamentais em diversos países.

Estiveram presentes na reunião do Coesa, pela Agrodefesa, o diretor de Defesa Agropecuária, Sérgio Paulo Coelho; o gerente de Sanidade Animal, Antônio do Amaral Leal; o gerente de Inspeção, Paulo Viana Filho e a coordenadora do Programa Estadual de Sanidade Avícola, Silvânia Andrade Reis (que é também vice-presidente do Coesa). Pela SFA-Goiás participaram Robério Alves Machado, Rodolfo Paranhos e Cleverson Santos Cypreste. Da AGA estiveram presentes Eduardo Tibery Queiroz e Maria Inês Rodrigues da Cunha. A EVZ/UFG esteve representada por Marcos Barcellos Café e Ana Maria de Souza Almeida. Também marcaram presença Marcelo Penha Silva (Faeg/Senar) e Uacir Bernardes (Fundepec-Goiás).

Agência Goiana de Defesa Agropecuária – Governo de Goiás

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.